Realizou-se no passado dia 9 de Fevereiro de 2018, a cerimónia de entrega de produtos às 06 (seis) comunidades e 02 (duas) associações agropecuárias do regulado de Galinha, no posto administrativo do mesmo nome, do distrito de Muanza. Inicialmente marcada para o dia 8 de Dezembro de 2017, a cerimónia teve muitos adiamentos derivada da necessidade de melhor clarificação dos processos técnicos de elaboração dos mapas de delimitação e de zoneamento, bem como a apreciação antecipada das Agendas Comunitarias de Desenvolvimento.

O evento teve lugar na sede do Posto Administrativo de Galinha, marcando o encerramento do Projeto de Revitalização dos Comitês de Gestão dos Recursos Naturais através de Redimensionamento do Regulado de Galinha, no distrito de Muanza, província de Sofala. Este projecto foi conduzido pelo Centro de Pesquisa e Consultoria (CEPEC), uma empresa vocacionada na realização de Estudos de Impacto Ambiental (EIA), Ordenamento Territorial, Gestão de Recursos Naturais e Fornecimento de Imagens Satélites, como provedor de serviço, com o financeiamento da Iniciativa para Terras Comunitárias (iTC-F), no montante de 3.098.433,28Mts (três milhões, noventa e oito mil, quatrocentos e trinta e três meticais e 28 centavos).

O projecto beneficiou a 06 (seis) comunidades, nomeadamente, Chenapamimba, Galinha sede, Honve e Nhansato, do Regulado de Galinha e as comunidades de Nhamassindzira e Wiriquize, pertencente ao Regulano de Nganos, todas do Posto Administrativo de Galinha.  Os seis Comités de Gestão de Recursos Naturais receberam como produtos, Certidão oficiosa, mapa de delimitação e mapa de zoneamento da sua comunidade, publicação dos Estatutos no Boletim da República, NUITs e número de Conta Bancária do Comité, para além de NUITs de todos os membros dos Comités. Por sua vez as duas associações agropecuárias receberam a publicação dos Estatutos no Boletim da República, NUITs, número de Conta Bancária e DUAT da Associação, para além de NUITs de todos os membros dos cada associação. Na mesma linha, fora das obrigações do projecto, o CEPEC fez entrega aos Governos do Distrito e do Posto Administrativos, as secretarias das seis Localidades e aos seis Comités mapas do Posto de Galinha como delimitação das suas respectivas localidades/comunidades.

Participaram na cerimonia cerca de 83 pessoas, dentre as quais 30 eram mulheres e 53 homens. Destas estavam representadas diversas instituições governamentais, a Iniciativa para Terras Comunitárias (iTC-F), o CEPEC, o SPGC, SPFFB, Departamento de Áreas de Conservação, individualidades do poder tradicional, a comunidade no geral, assim como órgãos de comunicação social.

O Director do CEPEC referiu que o projeto criou capacidade e emponderamento as comunidades munindo os membros dos Comités, Associações e líderes comunitários de conhecimento através de seminários e capacitações sobre a necessidade de assegurar os recursos existentes, sobretudo na gestão de terra no distrito de Muanza. Houve a necessidade de se formalizar e legalizar os CGRNs de Galinha-sede, Nhansato, Honve, Chenapamimba, Nhanssindzira e Wiriquizi, assim como, duas associações locais de Galinha Sede e Nhansato.

O gestor provincial da iTC-F, o Eng. Tiago Lidimba, disse que aquela instituição complementou os esforços do Governo na implementação da lei de terra. E para o efeito a ITC desembolsou cerca de 2,500,000.00 Mts (dois milhões e quinhentos mil meticais) para a materialização do projeto.

A administradora do distrito de Muanza Admira Boaventura Uache Filimone, na ocasião apelou aos membros dos Comitês a continuarem a preservar os recursos florestais e marinhos tendo em conta que o distrito é banhado pelo mar. Era de se notar a satisfação de todos os presentes na cerimónia visto que os objetivos traçados já tinham se concretizado na sua íntegra.

Por sua vez, as comunidades beneficiárias através do presidente do Comité de Gestão de Recursos Naturais de Nhamassindzira , senhor Zacarias Francisco João, disse: “ estou muito feliz porque o nosso comitê já esta documentado. E vamos continuar a trabalhar para preservar os nossos recursos”.